“Educação na pandemia e seus reflexos”.

Para encerrar o mês de março, e a data que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Diretora de Mulheres do Sispesp – Sindicato dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo e da FESSP-ESP – Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo, realizou na última quinta-feira (25) a primeira roda de conversa comandada pela diretora que abordou o tema “Educação na pandemia e seus reflexos”.
Participaram do evento Cristina Gomes, presidente da Federação dos Servidores Municipais do Estado de São Paulo (Festmesp) e diretora da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), Rosaura Aparecida, diretora/presidente do Sindicato dos Supervisores de Ensino do Magistério Oficial no Estado de São Paulo (Apase), João Domingos, presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB) e o presidente do Sispesp, Lineu Mazano.

ASSISTA AQUI

https://www.facebook.com/sispesp/videos/434674917597909/

Abrindo os trabalhos, e saudando os participantes, o presidente do Sispesp passa a palavra para o presidente da CSPB. “Agradeço o convite e estar nesta live é muito gratificante, pois o tema escolhido é muito pertinente ao momento, e a frente desta pasta das mulheres está uma mulher que hoje representa a luta e a força das mulheres a nível nacional e internacional pela CSPB, CLATE e ISP, e gostaria de ressaltar que o momento em que a população vive é aterrorizante, as sequelas que a pandemia está deixando na população é sem precedentes, e tudo o que está acontecendo certamente forçará uma espécie de nova era, um novo mundo sobre vários aspectos e infelizmente haverá consequências, e irá acarretar várias demissões.” Declara, Domingos.
A diretora faz sua introdução relatando o pronunciamento do governo estadual sobre a vacinação para todos os profissionais da área da educação anunciada para o dia 12/03, a situação atual do Estado perante a pandemia e
em seguida, convida a representante da APASE, para abordar o tema sobre os profissionais da educação serem ou não linha de frente contra a Covid-19. Rosaura Aparecida, ressalta a importância da escola, o convívio social, a disseminação de informações e de modelos de comportamentos, mas se comparada aos trabalhadores que estão enfrentando a pandemia diretamente, os profissionais da educação não fazem parte dessa linha.
“Os profissionais da educação são linhas de frente quando se trata de um importante atendimento comunitário, mas tendo como a principal característica educacional o contato humano, isso se torna um alto risco de contágio, nós defendemos a educação como serviço essencial e são por esses motivos que pedimos a vacinação para todos esses profissionais.”
Em sua fala, Cristina Gomes abordou questões importantes sobre as condições de trabalho na pandemia, o ensino remoto e suas dificuldades, sua perspectiva sobre a volta ás aulas e a contaminação desses profissionais.


“A exclusão social que a pandemia trouxe é muito grave, e essas atividades remotas e o ensino híbrido vieram para ficar. Na hora que essa pandemia passar, a população tem que estar preparada, a falta de consciência das pessoas que julgam os professores na pandemia sequer imaginam a luta que foi e ainda está sendo para esses profissionais.Os educadores estão aterrorizados com essa pandemia.”
Enserrando a Live, a anfitriã agradece a participação das convidadas, dos que estiveram acompanhando pelas redes sociais, ao presidente do SISPESP e FESSP-ESP pelo apoio às questões das mulheres, e ressalta que “Este foi o primeiro evento de uma sequência de temas relevantes as mulheres que ainda serão abordados, finaliza Katia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *