A Fessp-Esp lamenta profundamente a morte do grande líder dos trabalhadores José Calixto Ramos

É com muita tristeza que comunicamos a perda do nosso grande companheiro de luta, presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), José Calixto Ramos, 92 anos. Ele é mais uma vítima da Covid 19 e do descaso do governo.

Calixto estava hospitalizado em Recife em consequência da Covid-19, onde se recuperava da doença. Porém, foi acometido de uma repentina parada cardíaca.

Estamos todos tristes, porque perdemos um amigo, um líder e um defensor ferrenho dos direitos dos trabalhadores.

Muitos de nossos diretores tiveram o privilégio de estar ao lado de Calixto durante anos, aproveitando o conhecimento e a experiência que este tinha sobre o mundo do trabalho.

Calixto presidiu a NCST (Nova Central Sindical dos Trabalhadores), central fundada em 29 de junho de 2005, e foi o primeiro a ocupar o cargo. Em 2008, foi eleito presidente da CNTI (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria). Foi ministro do TST (Tribunal Superior do Trabalho) e CNDE (Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

 

Nascido em Ipojuca, Pernambuco, no dia 14 de outubro de 1928, era mecânico de máquinas, tendo cursado o segundo grau. Como ativista sindical, foi delegado e também secretário do STI Metalúrgico de Recife, chegando à presidência em 1965.

 

Fundou a Federação dos Trabalhadores na Indústria no Estado de Pernambuco, ocupando o cargo de secretário até transferir-se para Brasília, na condição de vice-presidente da CNTI. Em 1983, Calixto assumiu a presidência da Confederação. Nesse mesmo ano, em pleito nacional, foi eleito presidente da CNTI. Pela primeira vez, um trabalhador nordestino chegava à cúpula do sindicalismo industriário.

 

A partir de 1986, conduziu a participação da classe trabalhadora durante as discussões na Assembleia Nacional Constituinte, em grande mobilização no Congresso Nacional, conquistando a inclusão das reivindicações dos trabalhadores na Carta Cidadã, promulgada em outubro de 1988.

 

Paralelamente, ao comando da CNTI, Calixto foi representante dos trabalhadores no Conselho Deliberativo da Sudene, No Conselho Federal de Mão de Obra, no Conselho Monetário Nacional e no Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Foi ainda Ministro classista representante dos trabalhadores no Tribunal Superior do Trabalho, no período de 1989 a 1995, quando houve a extinção da classe.

 

Participou da criação da Coordenação Confederativa dos Trabalhadores (CCT), em 1996; do Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), em 2003; e a Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), em 2005, entidade presidida por ele até o último dia 3.

Nenhuma palavra é capaz de expressar esta perda. Sentiremos saudades e jamais esqueceremos a importância desse grande líder para o movimento sindical.

A Feesp-Esp declara luto oficial em memória do nosso companheiro.

Manifestamos aqui nosso profundo pesar e pedimos a Deus que console a família e os amigos.

A diretoria.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *