ISP realiza seminário dia 25 de agosto para divulgar dados de pesquisa sobre condições de trabalho de servidores

Inês Ferreira

A Internacional de Serviços Públicos – ISP realiza no próximo dia 25, a partir das 14 horas, um seminário virtual para apresentação do resultado final da pesquisa brasileira sobre as condições de trabalho na saúde e demais serviços essenciais em meio à pandemia. O SINDCOP é filiado a ISP e uma das entidades parceiras da pesquisa.

O evento é aberto aos servidores. Para participar é preciso fazer uma inscrição prévia, acessando este link: encurtador.com.br/ahzY4. O link de acesso será enviado no e-mail, após a inscrição.

Durante o seminário serão apresentados os resultados finais da campanha, análise e interpretação dos dados obtidos, respectivos encaminhamentos e recomendações para fortalecer a conquista de trabalho decente em nível nacional e internacional.

O seminário tem o apoio de entidades filiadas e parceiras que participaram da Campanha internacional “Trabalhadoras e Trabalhadores Protegidos Salvam Vidas”, elaborada coletivamente em 31 de março de 2020. Relatórios sobre a campanha estão disponíveis no site http://trabalhadoresprotegidos.com.br/.

A campanha é mundial e tem objetivo de enfrentar os impactos da pandemia de coronavírus na vida e na saúde de milhões de trabalhado e trabalhadores que atuam nos serviços essenciais, como saúde, assistência social, educação, segurança pública, sistema prisional, judiciário, asseio e conservação, limpeza pública, coleta de resíduos sólidos, funerárias e cemitérios, água e saneamento , energia e também o setor de tributação.

Em diversos países, essas categorias trabalham para sustentar as medidas de isolamento social e de cuidados de saúde à população e superar o pandêmico vírus COVID-19.

A pesquisa objetivou coletar informações para embasar pautas destinadas aos gestores públicos e empregadores privados, requerendo provimento a condições de trabalho que protejam os trabalhadores e as trabalhadoras.

Os dados servirão para apresentar as necessidades de proteção a órgãos e entidades nacionais e internacionais e sensibilizar a sociedade para essa demanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *