Diretora da Mulher da Fess-Esp abraça a campanha “Outubro Rosa”

 

No Brasil, a primeira ação referente a campanha Outubro Rosa ocorreu em São Paulo, em 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera (monumento Mausoléu do Soldado), foi iluminado com a cor rosa durante o mês de outubro. Com o decorrer do tempo, mais cidades brasileiras aderiram à campanha para apoiar a causa.

A campanha Outubro Rosa surgiu no Estados Unidos, durante o mês de outubro. Em várias cidades desse país, neste período, realizavam ações isoladas referente ao combate e prevenção ao câncer de mama. Após aprovação no Congresso Americano, o mês de outubro, se tornou o mês nacional de prevenção a este tipo de câncer, e pouco a pouco foi se expandindo para diversos países do mundo.

Neste mês de outubro, é comum encontrar mulheres e homens ( esse tipo de câncer também atinge aos homens, mesmo sendo mais raro) de vários seguimentos da sociedade: nas ruas, em reuniões, seminários e em campanhas explicando a importância da prevenção e de procurar ajuda médica para realizarem  o exame de  mamografia – que  é o principal  exame de diagnóstico.

O exame deve ser realizado em mulheres entre 40 e 69 anos de idade, sendo que o índice de cura chega a 95% quando descoberto precocemente. Também é preciso realizar o autoexame, que pode chegar a salvar uma vida.

“ A mulher dentro da sociedade, principalmente nos lares e dentro das famílias é o grande alicerce, é a pessoa que ajuda, cuida e se preocupa com os demais membros, não se importando muito consigo mesma. O mês da campanha “ Outubro Rosa ”  é um período que ela precisa olhar para si, e ver a importância de se prevenir, se cuidar, se permitir ter um tempo em que não está cuidando dos outros, mas sim dela mesma. Com a tripla jornada de trabalho, os afazeres do dia-a-dia, o tempo acaba passando e ela não se dá conta que aquele caroço pequeno que um dia apareceu em seus seios  acreditando não ter importância, hoje está crescido, dolorido, precisando que ela tenha uma atenção maior”, afirma a diretora de Assuntos da Mulher da Fessp-Esp (Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo) , Kátia Rodrigues.

Segundo ela, essa recomendação não é feita somente como diretora de ambas entidades, mas também como mãe, trabalhadora na área da saúde e dirigente sindical.

“Quero deixar esta mensagem as companheiras para que neste mês de outubro, tenham atitude e que não medo. Diminuam um pouco o seu ritmo e procurem ajuda médica. Assim você estará cuidando não somente de si, mas também de toda a sua família”, concluiu a diretora.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *